ALGODÃO, SOJA E CAFÉ AVANÇAM E SEGURAM PERDAS DO AGRONEGÓCIO

10 de setembro de 2018 - 09:00

Apesar de todos os problemas vividos com a greve dos caminhoneiros, em maio, o PIB da agropecuária se manteve estável no segundo trimestre

Apesar de todos os problemas vividos com a greve dos caminhoneiros, em maio, o PIB da agropecuária se manteve estável no segundo trimestre

A avaliação mensal realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre as lavouras brasileiras de grãos apontou que em julho deste ano a produção de algodão aumentou 24,5%, com relação ao mesmo período de 2017.

O dado demonstra que o algodão ganhou espaço definitivo nas lavouras, com aumento na produtividade e na produção das safras recentes, o que tem influenciado positivamente o PIB do país.

Além do algodão, a soja e o café impediram uma queda na taxa de crescimento do Brasil entre os meses de abril e junho, em um cenário onde a greve dos caminhoneiros afetava setores como o da carne, milho, arroz e mandioca.

Apesar de o algodão brasileiro estar em destaque no mercado nacional e internacional, ainda existem desafios para os produtores, como custos para desenvolver um hectare de lavoura, que giram em torno de R$ 9 mil a R$ 10 mil, além de gastos com equipamentos.

Mesmo com tradicionais problemas como distância dos portos, fretes e custos de insumos que limitam os ganhos, o Brasil cresce com boas perspectivas para o setor agropecuário na produção de grãos.

Fonte: www.folhape.com.br