DESCARTE E DESTINAÇÃO DOS RESÍDUOS

9 de junho de 2018 - 09:44

Nossas soluções para a lavoura garantem melhor desempenho e produtividade no campo, mas também nos preocupamos com o descarte e destinação correta dos nossos resíduos, como embalagens de produtos químicos, pilhas e baterias.

É de responsabilidade do gerador que seus resíduos sejam destinados de forma correta e sustentável. A política nacional de resíduos sólidos, instituída pela Lei Nº 12.305/2010, regula as novas regras de destinação de produtos descartados pelos consumidores, atribuindo o seu retorno aos respectivos fabricantes, dentro do sistema denominado Logística Reversa. Segundo esse sistema, os resíduos sólidos deverão ser devolvidos ao setor empresarial para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada.

São produtos obrigatoriamente sujeitos à Logística Reversa: Agroquímicos, seus resíduos e embalagens, e outros produtos em que as embalagens após o uso constituam resíduos perigosos; Pilhas e baterias; Pneus; Óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens; Lâmpadas de mercúrio; Produtos eletroeletrônicos.

Outros produtos e embalagens, dependendo do grau de impacto à saúde pública e ao meio ambiente, poderão também ser objeto do sistema de logística reversa, mediante acordos setoriais, termos de compromisso ou regulamento específico.

Além de observar as regras gerais de acondicionamento, segregação e destinação final de resíduos sólidos, são obrigados a acondicioná-los adequadamente e de forma diferenciada, bem como a disponibilizar os reutilizáveis e recicláveis para coleta ou devolução, sempre que estabelecido sistema de coleta seletiva ou quando existirem sistemas de logística reversa. Caso não faça, estará sujeito à responsabilização.

O plano de Gerenciamento de Resíduos sólidos é um conjunto de atitudes que visa minimizar e eliminar o impacto que os resíduos podem causar ao meio ambiente, classificando-os e dando a eles uma destinação final correta. Este plano é exigido normalmente durante os processos de licenciamento ambiental para empreendimentos onde o licenciamento é aplicável. Nas propriedades rurais que não necessitarem de licenciamento ambiental, o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos não é obrigatório.

Nossos parceiros e clientes também recebem assessoria para o descarte e destinação adequados de seus resíduos. Assim, cada vez mais, nossas soluções para a lavoura são completas e sustentáveis.