NUTRIÇÃO DAS PLANTAS

13 de junho de 2018 - 10:32

A nutrição mineral das plantas nos fornece informações sobre quais elementos são essenciais, quais suas funções, como são absorvidos, transportados e redistribuídos.

As plantas são compostas por 70 a 90 % de água e o restante é o material seco. No material seco, observa-se que 90% ou mais é formada somente por três elementos: o carbono (C), o hidrogênio (H) e o oxigênio (O). O C vem do ar, o O do ar e da água e o H vem da água. Dessa maneira, observa-se que, na natureza, o solo é responsável por apenas 1% da
composição da planta, mas isso não significa que ele é menos importante. Na verdade, todos os elementos que compõem a planta são essenciais. Os elementos minerais são classificados em dois grupos: os macronutrientes e os micronutrientes.
Os macronutrientes podem ser subdivididos em macronutrientes primários: o nitrogênio (N), o fósforo (P) e o potássio (K); e em macronutrientes secundários: o cálcio (Ca), o magnésio (Mg) e o Enxofre (S), que são os elementos minerais absorvidos em maiores quantidades. Os micronutrientes são o boro (B), o cloro (Cl), o cobre (Cu), o ferro (Fe), o manganês (Mn), o molibdênio (Mo), o zinco (Zn), que são absorvidos em menores quantidades.
Critérios de essencialidade:
- A deficiência ou a falta de um elemento impossibilita a planta de completar seu ciclo biológico;
- A deficiência é específica para o elemento em questão;
- O elemento deve estar envolvido diretamente na nutrição da planta, quer constituindo um metabólito essencial, quer sendo requerido para a ação de um sistema enzimático.
Elementos não essenciais, mas benéficos para a planta:
- Sódio (Na): para plantas que sobrevivem em solos em condições de deserto, como os cactos;
- Silício (Si): para algumas gramíneas, como o capim, a cana-de-açúcar e o milho;
- Cobalto (Co): para plantas leguminosas, como o feijão, soja e ervilha.
Fatores para os nutrientes serem absorvidos pela planta:
- Forma do nutriente;
- Quantidade do nutriente no meio externo;
- Idade da planta e das raízes;
- Distribuição das raízes;
- Espécie da planta;
- Outros fatores da natureza (temperatura, luz, oxigênio, pH, umidade, entre outros).
Funções dos nutrientes nas plantas:
Nitrogênio: é essencial para a formação das proteínas, substâncias que fazem parte dos tecidos vegetais. As proteínas são indispensáveis à vida das plantas e dos animais. O nitrogênio faz parte, ainda, de compostos do metabolismo, como a clorofila e os alcaloides, bem como de muitos hormônios, enzimas e vitaminas.
Fósforo: age na respiração e na produção de energia. Age na divisão das células, intensificando-a; entra na composição de algumas substâncias de reserva, como os albuminoides e o amido; dá força e rigidez aos caules dos cereais; facilita a floração; aumenta a frutificação; apressa a maturação; intensifica a resistência das plantas às moléstias; contribui para o desenvolvimento do sistema radicular e para a saúde geral da planta. O fósforo age na colheita, como fator de qualidade e quantidade, isto é, contribui para uma produção maior e melhor.
Potássio: com este nutriente, as plantas elaboram os açúcares e o amido. Ele é indispensável para a formação e o amadurecimento dos frutos; aumenta a rigidez dos tecidos e a resistência das plantas às pragas e moléstias; favorece o desenvolvimento do sistema radicular; deve ser fornecido em uma relação adequada com o nitrogênio para garantir um perfeito equilíbrio entre crescimento, produção e qualidade.
Cálcio: em baixas concentrações, estimula a absorção de outros íons. Ele é indispensável para manter a estrutura e o funcionamento normal das membranas, particularmente da
plasmalema. Influi, de modo predominante, no equilíbrio entre a acidez e a alcalinidade do meio e da seiva.
Magnésio: entra na composição da clorofila, da protoclorofila, da pectina e fitina.
Enxofre: apresenta-se associado ao nitrogênio na composição das proteínas.
Boro: Suas funções estão relacionadas com as de cálcio. É encontrado, sobretudo, nos brotos novos em franco desenvolvimento, nas flores e no floema. É particularmente necessário onde as células estão se multiplicando. É de extraordinária importância na germinação do grão de pólen, na formação das flores, frutos e raízes, no movimento da seiva e na absorção dos cátions.
Cloro: função relacionada com a fotossíntese, participando da fotólise da água.
Cobre: é ativador de várias enzimas dentro da planta. É essencial para as plantas, em processos de oxidação e redução.
Ferro: é essencial para a formação da clorofila (embora não faça parte dela), absorção de nitrogênio e processos enzimáticos.
Manganês: assim como o ferro, também é necessário para a formação da clorofila, para a redução de nitratos e para a respiração. Em alguns processos metabólicos, ele age como catalisador. Participa da formação do ácido ascórbico (Vitamina C).
Molibdênio: participa da bioquímica da absorção e do transporte e fixação de nitrogênio.
Zinco: atua no crescimento das plantas pela sua participação na formação do ácido indolacético (AIA).